Google drive cheio Como resolver.







O que é Artesanato?





 O que é Artesanato? 


Artesanato é a arte de criar itens transformando matérias-primas usando as mãos como sua principal ferramenta de trabalho. Ferramentas e equipamentos são sempre auxiliares, não interferem uns nos outros durante o trabalho manual.

 



A produção artesanal inclui várias etapas, como a obtenção e beneficiamento da matéria-prima, a confecção e comercialização das peças. Pode ser realizado individualmente ou em grupo, dependendo do processo produtivo e das condições geográficas, ecológicas e socioeconômicas da comunidade. Geralmente é acompanhado por atividades como canções, orações, rituais e festas que conectam o artesanato com outros aspectos da vida, como religião e vida social.


O caráter sempre mostra aspectos individuais e coletivos. As escolhas, os gestos e o ritmo do mestre são captados no objeto, assim como as características estéticas, os valores e a identidade cultural compartilhada por um grupo de pessoas.


Você faz Artesanato? Confira esse artigo e veja

 Como vender Artesanato na internet


Artesanato tradicional

O artesanato tradicional inclui o conhecimento e as técnicas de artesanato que foram transmitidos de geração em geração na comunidade. Os elementos tradicionais fazem parte da maneira como as pessoas vivem no local, no dia a dia ou em eventos importantes. Eles incorporam os valores culturais dos ancestrais, transmitindo histórias e conhecimentos ao longo do tempo.


O artesanato tradicional tem um significado mais amplo, pois vai além da técnica da criatividade. Compreende o conhecimento do artesão sobre o local onde vive, os ciclos naturais das matérias-primas, as mudanças de ritmo ao longo do ano e a relação com outras formas de trabalho como a agricultura e a pesca. Conseqüentemente, constitui a identidade de um povo, um lugar ou uma etnia.


Uma vez que o artesanato tradicional só pode ser produzido enquanto houver meios de subsistência para apoiá-lo, ele é uma ferramenta importante de resistência cultural e política. Por meio do artesanato, grupos tradicionais como quilombulas, povos ribeirinhos e indígenas enfatizam a singularidade de sua cultura, reivindicando a importância e o direito de preservar seus conhecimentos, estilos de vida e estilos de vida.


Mas não importa o quanto tenha sido passado de geração em geração, o ofício tradicional não é estático, foi feito da mesma forma desde o seu início. Como artesão e comunidade, está vivo e muda com o tempo. Matérias-primas e ferramentas não são mais usadas, mas novos materiais e ferramentas são aceitos. Um exemplo disso é a renda irlandesa, que no passado era feita de bobinas pelas próprias rendeiras, mas hoje usa renda sintética. Essa mudança reduz o tempo de trabalho e do produto e fornece um acabamento melhor, eliminando a ondulação para criar curvas. Essas mudanças refletem as transformações e os problemas pelos quais a sociedade está passando, mas não alteram os métodos de produção e o significado cultural dessas coisas. Por isso, essas formas de conhecer e agir permanecem tradicionais, mesmo que tenham mudado.


Artesanato brasileiro

O artesanato brasileiro é produzido em todos os estados do território nacional e reflete a diversidade étnica da população que compõe o país: etnias indígenas, grupos africanos escravizados, imigrantes europeus e de outras partes do mundo. Por conta dessa grande diversidade cultural, é difícil encontrar um único traço que identifique todas as formas de produção artesanal no Brasil.


As características naturais de cada região e as relações que os grupos mantêm entre si são alguns dos fatores que explicam a diversidade de matérias-primas, formas e métodos de fabricação utilizados no artesanato brasileiro. Assim, existem variações regionais da mesma técnica. Por exemplo, as casas de botão de renda de vaivém têm nomes diferentes de acordo com a localização. As bobinas também são diferentes, pois em Raposo (MA) são feitas de bambu e coco da Macaúba, enquanto em Florianópolis (SC) são feitas de madeira entalhada.


Atualmente, a maioria dos artesãos brasileiros tem 40 anos ou mais e atua no setor há pelo menos 10 anos, sendo que mais da metade deles são mulheres. As matérias-primas mais utilizadas são de origem vegetal, principalmente tecidos, madeira e fios.


Arte folclórica

A arte popular inclui todas as formas de expressão artística que expressam os valores objetivos e culturais de um povo ou comunidade criada por artistas que não têm formação acadêmica nas artes.


Uma vez que artistas famosos não têm formação acadêmica nas artes, diferentes tipos de conhecimento são necessários para criar suas obras. Por exemplo, um artista famoso que faz coisas deve dominar sua técnica da mesma forma que um artesão.


Tanto as artes populares quanto os artesanatos expressam os estilos de vida e os lugares das pessoas, mas existem diferenças entre eles. Enquanto o objeto de artesanato é criado principalmente para satisfazer alguma necessidade de uso, o objeto de arte procura fornecer uma experiência estética. Assim, por meio de suas formas, cores e temas, a arte popular é pensada para evocar emoção e pensamento de forma original, sempre sob um determinado ponto de vista do artista que assina a obra.


Artesanato original

Isso se aplica aos conhecimentos e modos de vida tradicionais dos diversos povos indígenas que vivem no Brasil. Atualmente, 305 etnias indígenas vivem no Brasil, falando 274 línguas.


Os objetos foram criados para diversos fins, sendo os mais famosos cestos de bambu, cerâmicas e joias, como colares e pulseiras. O artesanato é produzido de acordo com as regras culturais próprias de cada país. Por isso, as bonecas Karaage de cerâmica são formadas apenas por mulheres.


Como todo conhecimento tradicional, o artesanato dos povos indígenas está em constante mudança. O cogumelo Percy, por exemplo, só começou a ser usado na tecelagem dos yanomami na década de 1970. Por outro lado, Karacho usa contas sintéticas além das tradicionais feitas de sementes de cerrado.


Essas mudanças, como o uso de matérias-primas e ferramentas estrangeiras, não diminuem a importância cultural do artesanato indígena. Ao contrário, representa as mudanças históricas e sociais da coleção, além de expressar a criatividade dos artesãos.









Postar um comentário











© Ver e Fazer. All rights reserved. Developed by Jago Desain